Pensamentos Criativos

A idade não é um pretexto para que se fique velho. (G. Slattery)

Conhece-nos!

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Posts recentes

Conversa com o Presidente...

Diagnóstico da cidade - P...

tags

queluz(28)

idosos(18)

envelhecimento(16)

resumo semanal(15)

jf(10)

notícias(10)

imagem de reflexão da semana(7)

o melhor do mês(6)

desafio(5)

entrevista(5)

imagem de reflexao da semana(5)

problemas(5)

universidade sénior(5)

1ºperíodo(4)

correio da cidade(4)

inquéritos(4)

património(4)

calendarização(3)

câmara municipal(3)

ccc(3)

ccc desafios(3)

debate(3)

dificuldades / problemas(3)

educação(3)

imagem d reflexão da semana(3)

jfma(3)

jfq(3)

monte-abraão(3)

natal(3)

noticia(3)

objectivos(3)

programa cidades amigas do idoso(3)

auto-avaliação(2)

conversa(2)

dia do idoso(2)

diagnóstico(2)

entrevistas(2)

junta de freguesia(2)

mapas(2)

melhor do mês(2)

pensamentos criativos(2)

plano de acção(2)

pontos fortes(2)

pontos fracos(2)

poster(2)

presidente(2)

relatório final(2)

resumo da semana(2)

solidariedade social(2)

teatroesfera(2)

vídeo(2)

voluntariado(2)

2007(1)

2ºperíodo(1)

3ºperíodo(1)

actividade(1)

actividades económicas(1)

agenda online(1)

amália rodrigues(1)

avaliação de ap(1)

todas as tags

O que pode encontrar aqui ...

Neste blog podem encontrar não só um retrato social, económico e cultural da cidade de Queluz, mas também, e essencialmente, uma abordagem à realidade das pessoas idosas da nossa cidade, sendo que o nosso subtema é "QUELUZ>64" e o nosso grande propósito é que Queluz possa, um dia, ser considerada como um exemplo a nível nacional e mundial de Cidade Amiga do Idoso. (Para compreender melhor o nosso projecto leia as publicações que fizemos ou consulte os links que temos na barra lateral direita acerca do Programa Cidades Amigas do Idoso).
Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

Conversa com o Presidente da Junta de Freguesia de Queluz

    Como sabem, nós decidimos conversar com as entidades politicas mais importantes da nossa cidade (Presidentes das Juntas de Freguesia e Presidente da Câmara Municipal de Sintra) não só para lhes darmos a conhecer o nosso projecto e enriquecermos o nosso conhecimento acerca da cidade, mas essencialmente para discutirmos com estas entidades:

- os maiores problemas que a cidade enfrenta;

- o que as juntas de freguesia estão a fazer no sentido de minorar estes problemas;

- os maiores obstáculos/dificuldades com que as pessoas idosas se deparam nesta cidade (passeios, habitações mal equipadas, transportes, informação, etc.);

- o que está a ser feito e o que deve ser feito para melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas da nossa cidade.

 

    O grupo já conversou, no passado dia 9 de Janeiro com o Presidente da Junta de Freguesia de Queluz, o Dr. António Barbosa Oliveira, e no passado dia 22 de Janeiro com a Dr.ª Fátima Campos, Presidente da Junta de freguesia do Monte-Abraão, mas ainda não obteve resposta da Junta de Freguesia de Massamá. Assim, apesar de inicialmente termos pensado em juntar as conclusões que tirássemos das entrevistas com os três presidentes e juntá-las numa só publicação, para desta forma ser mais fácil comparar os pareceres de cada um deles, não o faremos porque ainda não obtivemos resposta da Junta de Freguesia de Massamá e não sabemos quando a obteremos.

    Agora, deixamo-vos então as principais conclusões que tirámos da conversa com o Presidente da Junta de Freguesia de Queluz, e em breve publicaremos as conclusões que tirámos da conversa com a Presidente da Junta de Freguesia do Monte-Abraão.  

 

Conversa com o Dr. António Barbosa de Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Queluz

   No passado dia 9 de Janeiro pelas 18h30 dirigimo-nos à Junta de Freguesia de Queluz, para conversar com o Dr. António Barbosa de Oliveira acerca desta freguesia (esta conversa incidiu sobre os aspectos em cima referidos).
   Quando o questionámos acerca dos maiores problemas que afectam a freguesia de Queluz, este referiu:

• A mobilidade
   Como a freguesia de Queluz foi edificada já há alguns séculos atrás, nessa altura não existiam carros. Desta forma, actualmente os passeios e as ruas tornaram-se estreitas para a movimentação e para a quantidade de transportes que circulam na freguesia, o que condiciona a mobilidade da população.
   Este problema é agravado pela escassez de espaço para estacionamento, acabando os condutores por estacionar os seus veículos em locais não apropriados como os passeios (local de passagem dos peões), dificultando ainda mais a deslocação das pessoas, particularmente daquelas que apresentam dificuldades físicas (pessoas idosas, pessoas deficientes motoras) ou de mães com carrinhos de bebés.

   Neste sentido a junta de freguesia de Queluz tem tentado criar espaços alternativos para estacionamento, como por exemplo estacionamento subterrâneo. Contudo, devido aos elevados custos de implementação destas infra estruturas e á falta de apoios estes projectos acabam por muitas vezes ficar no papel.
   Para além disso, a junta rebaixou todos os passeios da freguesia de forma a facilitar a mobilidade dos seus habitantes.

• Envelhecimento da freguesia
   O envelhecimento da freguesia de Queluz é hoje um facto. Isto explica-se, como o grupo já referiu anteriormente, pelo carácter de cidade dormitório que Queluz adquiriu por volta dos anos 50/60. Nesta altura, vários trabalhadores de Lisboa deslocaram-se para zonas periféricas à capital (como Queluz) em busca de habitação a menores custos. Esta população permaneceu todos estes anos em Queluz e representa hoje a nossa população idosa.
   Contudo, previsões recentes do INE indicam que dentro de 15 a 20 anos esta freguesia vai rejuvenescer devido à ocupação de casas abandonadas na freguesia por parte de imigrantes e pela ocupação de casas herdadas de antepassados, sendo agora os mais jovens a ocupá-las.


• Degradação dos edifícios e do mercado de Queluz
   Na freguesia de Queluz existem pelo menos 100 edifícios que necessitam de reabilitação urgente, devido à sua antiguidade. Para alem disso, o mercado da freguesia apresenta problemas como a falta de espaço, infiltrações de água e a falta de estacionamento.

   No que diz respeito a este problema, a junta de Queluz tenta, sempre que possível, reabilitar muitos destes edifícios. No entanto, devido ao facto de alguns destes estarem localizados na zona especial de protecção do palácio de Queluz, torna-se difícil de obter pareceres positivos por parte das entidades competentes.

• Centro de Saúde de Queluz
   Não tem as condições necessárias a um óptimo atendimento da população.
_____________________________________________________

   Para além de estar a tentar minimizar estes problemas, a junta de freguesia aposta também da área social através de diversos programas e projectos que visam apoiar a população da cidade:
o A junta trabalha já há 10 anos em conjunto com varias instituições, como o centro de saúde, a igreja, a santa casa, a segurança social e a associação de reformados, no sentido de apoiar 200 famílias a nível de limpeza, acompanhamento médico, higiene etc.;
o Atendimento social todas as quartas e quintas;
o A junta oferece senhas em compras no valor de 55 euros na noite de natal;
o Apoio psicológico pago pela junta que actua nas escolas primarias assim como apoio financeiro para material escolar.


Em relação á cultura, desporto e educação a junta de freguesia de Queluz realiza:

o Cerca de 10 bailes por ano na associação de bombeiros de Queluz;
o 4 Prémios desportivos por ano;
o 4 Concertos corais no palácio nacional de Queluz;
o Comemorações do 25 de Abril;
o Concurso de presépios entre as escolas da freguesia.


    No fim de enunciar estes problemas, e referir o que a junta de freguesia está a fazer no sentido de melhorar o nível de vida da sua população, o Dr. António referiu:

.

“Quando estes problemas estiverem resolvidos, será muito mais gratificante morar em Queluz”.

Sentimo-nos:
Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

Diagnóstico da cidade - Pontos Fortes / Pontos Fracos

 

    No período passado, o nosso grande objectivo era fazer um levantamento geral das características demográficas, sociais, ambientais, económicas e culturais da nossa cidade, e identificar os principais pontos fortes e pontos fracos desta. Para tal, fizemos alguns passeios a pé pela cidade, realizámos visitas e entrevistas a várias entidades e instituições, pesquisámos em livros acerca da cidade (essencialmente no livro “A cidade de Queluz”), em revistas e jornais da região, como “O Correio da Cidade”, “O Correio da Linha” e “O Boletim de Queluz”. Recorremos ainda à Internet para enriquecer as nossas fontes de informação, tendo desempenhado um papel importante na nossa pesquisa, sites como “ Dona Maria - http://donamaria.queluz.org”, “Massamá, cidade aberta - http://massamacidadeaberta.blogspot.com”, “Associação Olho Vivo - http://www.olho-vivo.org/default.html” , e ainda os sites das Juntas de Freguesia da Cidade e da Câmara Municipal.
    Os resultados do trabalho desenvolvido por nós até agora estão à vista nas várias publicações que fizemos no nosso blog, mas deixamos, de seguida, uma reflexão acerca dos pontos fortes e fracos que identificámos na cidade durante o 1º Período.
    Assim, este post é uma espécie de conclusão do trabalho feito no período passado, pelo que deveria ter sido publicado já há algum tempo, mas antes foi-nos impossível. Mas agora que tivemos a oportunidade de o fazer, gostaríamos de saber a vossa opinião, sugestões para resolução de problemas e/ou formas de potencializar os pontos favoráveis. Apesar do número de pontos fracos ser inferior ao de pontos fortes, os problemas inventariados são bastante relevantes. Desta forma, pretendemos mostrar que na nossa cidade tanto há aspectos bons e a valorizar como aspectos “menos bons” que necessitam de intervenção e que esperamos que sejam ultrapassados num futuro breve com a colaboração de todos para uma cidade cada vez melhor, uma cidade cada vez mais criativa!
 
 

Pontos Fortes
Pontos Fracos
· Existência de um vasto património histórico e cultural, o que faz com que a nossa cidade seja referida em vários roteiros turísticos a nível mundial. Desta forma, a cidade é um pólo atractivo ao nível do turismo nacional e internacional;
· O tráfego intenso, a escassez de acessibilidades à cidade e a falta de estacionamento, são alguns dos maiores problemas na nossa cidade, pois condicionam a mobilidade da população da cidade. Contudo, as juntas de freguesia da cidade têm-se mostrado sensibilizadas com estes problemas, tentando solucioná-los;
· Permanência do Bairro Tradicional da cidade, conhecido popularmente por “Bairro do Chinelo”, cuja construção data ao século XVIII;
· A cidade tem uma boa localização geográfica, sendo que se localiza na periferia da capital do País, beneficiando assim de um variado leque de oportunidades que uma grande cidade como Lisboa oferece (elevado nº de serviços ao dispor da população, comércio, emprego, transportes, etc.);
· O envelhecimento da população é um problema que afecta fortemente todo o país e que pode vir a ter consequências bastante graves no futuro. Por ser uma temática tão problemática e actual que necessita de intervenção urgentemente, é o tema central do nosso trabalho, demonstrando assim a sua importância não só para a cidade mas para todas as cidades portuguesas em geral;
· A cidade tem o privilégio de integrar o Município de Sintra, que é um ponto importantíssimo para o País, ao ser considerado Património Mundial, pelas características históricas e ambientais que possui;
· Dificuldade em obter pareceres favoráveis por parte da Câmara Municipal e de alguns institutos ligados ao património devido ao facto de certas zonas da cidade integrarem áreas preservadas e protegidas. Assim às vezes torna-se bastante difícil efectuar alterações no território que poderiam melhorar bastante a cidade, mas que por estarem próximo dessas áreas, não podem sofrer qualquer alteração;
·  Existe um grande número de Associações Desportivas localizadas na cidade, o que promove um estilo de vida saudável e activo na sociedade;
· A falta de espaço aliada à elevada densidade populacional condiciona a mobilidade da população e chega mesmo a pôr em causa o seu bem-estar. Esta é uma tendência generalizada a todas as grandes cidades e àquelas que se vieram instalar na sua periferia como é o caso de Queluz;
· Existência de várias Instituições e espaços dedicados à cultura (música, teatro, artes plásticas, artesanato);
·  A cidade oferece uma grande área dedicada aos espaços verdes, estando esta distribuída por toda a cidade;
·  A perda da identidade da população é uma consequência desta vivência em centros urbanos onde as pessoas vivem em “compartimentos” (apartamentos) que quase só servem de dormitório, entram num vai-vem diário (casa-trabalho-casa), não têm tempo para nada, consomem tudo o que lhes é inconscientemente imposto, recebendo influências sem questioná-las. Aqui se misturam hábitos e culturas duma forma descontextualizada e sem se perceber qual a essência delas, acabando por se evaporar a verdadeira cultura que aqui existia inicialmente e que caracterizava a zona;
· Presença do comércio tradicional na cidade, o que preserva a identidade especifica da cidade;
·  Preocupação por parte das entidades responsáveis em restaurar a zona monumental da cidade;
· A insegurança e criminalidade são problemáticas quase sempre presentes em centros urbanos que tiveram um crescimento rápido nos últimos anos. No caso da nossa cidade, tem havido uma preocupação crescente em policiar as ruas e fazer com que a população se sinta acompanhada e a nossa cidade se torne cada vez mais segura;
·  Rebaixamento dos passeios na zona das passadeiras, de forma a facilitar a mobilidade dos peões;
·  Elevada oferta de habitação na zona, o que se reflecte como um pólo atractivo de fixação da população na cidade;
·  Queluz é por excelência uma cidade com um vasto património sendo o Palácio Nacional o seu expoente máximo. No entanto nota-se que existe demasiada preocupação com o património, sendo que isso por si só não seja problema algum, o pior é que isso pode originar um descuido de outros aspectos da cidade que também sejam importantes de tratar;
·   Preocupação em aumentar o espaço para estacionamento na cidade;
·  Eliminação da passagem de nível na Estação de Queluz-Belas e melhoramento da mesma e da zona envolvente a esta, permitindo uma maior mobilidade da população e aumento a sua segurança;
·   Como em qualquer cidade onde a densidade populacional é bastante elevada, nota-se que as infra-estruturas por vezes chegam a ser insuficientes. Queluz não foge à regra, sendo que é compreensível que uma população cada vez maior e cada vez mais exigente e desenvolvida, necessite de mais e mais infra-estruturas e serviços à sua disposição.
·   Preocupação social da cidade em integrar os seus idosos na sociedade, através de projectos que evitem o seu isolamento e promovam o contacto intergeracional.

 

posted by polisxxi às 19:41
link do post | comenta! | Elege-nos como teus favoritos!

Pesquisa aqui!

 

Galeria Queluz

Os nossos links

blogs SAPO

Subscrever feeds